Promoção de Direitos Humanos

Cielo tem o compromisso de promover o respeito aos direitos humanos nas relações com seus colaboradores, clientes, acionistas, fornecedores e sociedade. Este compromisso é norteado pelos três pilares dos Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos “proteger, respeitar e reparar” enunciado no Relatório Final de John Ruggie, aprovado pelo Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas em 16 de junho de 2011. A Companhia segue os princípios da Declaração Universal dos Direitos Humanos e valoriza o direito à vida, à liberdade de expressão e à segurança.

Esses princípios são a base para a justiça, a liberdade e a paz. A Empresa valoriza a diversidade e é contra qualquer tipo de discriminação em razão de gênero, deficiência, origem, religião, cor da pele, orientação sexual, estado civil, idade, condição social ou quaisquer outras formas de discriminação. A Cielo repudia qualquer forma de intimidação ou assédio sexual, moral, religioso, econômico, político ou organizacional. Tampouco tolera agressões físicas e verbais, desrespeito, constrangimento e humilhações. A Cielo também adere ao Pacto Global das Nações Unidas.

O compromisso com os Direitos Humanos é referência não só para os colaboradores, estagiários e administradores, mas também para as sociedades controladas e os demais públicos com os quais a Cielo se relaciona. São esses diferentes públicos envolvidos no negócio que, ao fazerem suas escolhas cotidianas, reforçam a conduta ética e o respeito aos Direitos Humanos em que a Companhia acredita.

1. Diretrizes 

A Cielo busca adotar as melhores práticas em governança corporativa, assegurando a transparência da gestão, o equilíbrio de direitos entre acionistas, a prestação de contas aos investidores e à sociedade, a ética no trato com os diversos públicos e a sustentabilidade dos negócios.

O respeito aos direitos humanos está intrínseco a todas políticas da Cielo, para tanto na última atualização do Código de Conduta Ética foram reforçadas orientações relacionadas aos temas: Lei anticorrupção, Responsabilidade social, Liberdade de associação, Abuso de poder/assédio, Redes sociais, Exploração sexual de crianças e adolescentes e pornografia infantil, Transparência das informações e Segurança das informações.

Essas abordagens enriqueceram os capítulos já existentes no referido documento, como Conformidade à legislação, Ética nas relações comerciais, Direitos humanos, Meio ambiente e Sigilo e Confidencialidade.

Outros documentos da Cielo evidenciam a preocupação da Companhia com os direitos humanos, tais, como o Código de Ética e Conduta de Fornecedores, a Política de Sustentabilidade, a Política Anticorrupção, Política de Gerenciamento de Riscos Corporativos, Controles Internos e Compliance, Política de Segurança da Informação e Política de Privacidade de Dados.

A Cielo implementa várias iniciativas no que tange direitos humanos, como o respeito e promoção à diversidade no ambiente de trabalho; o combate ao trabalho infantil e análogo ao de escravo; auditorias socioambientais em fornecedores críticos. A Companhia ainda apoia projetos sociais alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

2. Implementação

A Cielo compromete-se a continuamente avaliar o impacto de suas atividades sobre os direitos humanos, mediante a realização de auditorias externas periódicas (due diligence), e a manter um programa de implementação deste Compromisso de Direitos Humanos. O Canal de Ética da Cielo está habilitado a identificar práticas contrárias a este Compromisso de Direitos Humanos. O canal pode ser acessado por meio do site www.canaldeetica.com.br/cielo ou pelo telefone 0800 775 808, operado por empresa independente a fim de garantir sigilo e anonimato aos que desejam comunicar desvios de conduta. A apuração de registros é feita pela Auditoria Interna, área independente da Diretoria-Executiva, que informa, mensalmente, a apuração das denúncias recebidas ao Comitê de Auditoria e, semestralmente, ao Conselho de Administração. As atividades são monitoradas até a conclusão do caso.